Categories
como funciona? empreender sucesso

Lucrando com o Rastreamento

Independente da forma de comercialização, devemos ter o entendimento que nosso ganho vem a medio/longo prazo, ou seja, do crescimento da carteira de clientes bem como, das mensalidades geradas.
Quem define o mercado é o cliente, portanto, cada caso é um caso.
Você pode vender o rastreador obtendo ou não lucro, mas a maior prática tem sido o comodato, onde a empresa amortiza (recupera investimento) parte ou o valor total do produto (módulo rastreador).

O fato é que você deve tentar diminuir ao máximo o seu custo inicial da compra do rastreador, repassando o valor para o cliente em forma de “custo de instalação”.

Este valor de instalação a ser pago pelo seu cliente vai depender do seu mercado (como a sua concorrência está trabalhando) e do quanto o seu cliente está disposto a pagar.

Exemplo de negociação: você prospectou um cliente frotista (digamos, 20 veículos) e ele quer fechar com você mas tem propostas boas da concorrência. Procure negociar um bom valor junto a seu instalador e dê um disconto (carência) para o cliente nos primeiros meses. Com isto, suas possibilidades de sucesso no negócio aumentam.

CADA CASO É UM CASO e você deve se esforçar para FECHAR o negócio. Não se conforme com perda de negócio!!

Uma outro ótimo opção de argumento de venda quando o seu cliente tem outras propostas é posicionar sua empresa e seu serviço como “premium” (especial). De forma ética e sutil, procure desqualificar a concorrência posicionando o seu produto como superior.

O mercado tem necessidades diversas no rastreamento. Entenda algumas delas:
– Monitoramento: gestores de frota
– Segurança de patrimônio: muito utilizado para compensar veículos fora do perfil de seguro viável;
– Gerenciamento de risco: diminuição de falhas e gastos;
– Escala de serviços (telefone, Internet, bloqueio…..): melhora em serviços